Eu preciso de amor, não desse que me preenche, que me é comum e conhecido,
mas desse feito mesmo do desperdício, do excesso, e de tudo mais que irrite o ouvido do desamor.

(que me embale quando estralar as pestanas, todas as três vezes)

Eu quero um grande amor, e os pequenos também
[te amo, eu sei. depois disso nada é o mesmo, já não é há muito tempo]

2 Response to

Tulio
7 de junho de 2009 16:13

Eu que agradeço pela visita ao meu =)
Que bom que vc gostou!

bjo e boa semana pra ti!

7 de junho de 2009 20:09

Parece uma bota que eu tenho (a do jeans, claro) ;)

 

Labels

Copyright © 2009 lo increible y lo frágil que es todo All rights reserved.
Converted To Blogger Template by Anshul Theme By- WooThemes